segunda-feira, 30 de maio de 2011

Encontro Poético en Aveiro


O 28 e 29 deste mes, Aveiro brillou entre poesía e amizade. Este xa é 18º ano que se fai o Encontro nesta fermosa paraxe (organizado polo Grupo Poético de Aveiro). Os poetas compartillaron versos e lazos poéticos ao carón do mar. 
Penúltimo Acto (Cruz Martínez e rosanegra) quixo estar presente e crear un vínculo máis aló das fronteiras.
Entre outros estiveron: Rita Capucho, Ana Paula Mabrouk, Orlando Jorge Figueiredo, Carla Ribeiro, António Sérgio Azeredo, António Luís Oliveira, Emanuel Naia Sardo, Lurdes Breda, Asun Estévez, Francisco X. Fernández Naval, José Manuel Morgade, María Glez. Méndez, José Antonio Vale Alonso, Virgília Almeida, Anabela Pais...




domingo, 22 de maio de 2011

As "Ondas Culturais" ondearon na Arte

ARTEDANÇA

SILÊNCIO DA GAVETA

rosanegra

AURELINO COSTA


FERNANDO GONÇALVES E VÍTOR JOSÉ

"Ondas Culturais" foi todo un espectáculo de danza, pintura, música e poesía. A cultura brillou de forma especial en Póvoa de Varzim, un pobo moi amábel e lindo. Onde un público e uns participantes mergullados en tan belo evento, sentiron as cóxegas das notas e das verbas nun ar enfeitizado pola máxima expresión humana do sentimento artístico na MATRIZ  ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA.
O "Penúltimo Acto" (Cruz Martínez e rosanegra) estivo neste grande acto cultural acompañado por Artedança, Colectivo Silêncio da Gaveta, Góis Pino, Fernando Gonçalves e Vítor José, Isabel Lhano e Aurelino Costa.   
Sábado 21 de maio, 2011.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Vídeo do 1º Aniversario do Círculo Poético Aberto

video
Como novidade nesta ocasión: Temos poesía de Italia cunha magnífica poeta da zona sur e unha intervención musical sorpresa. Por suposto, non nos esquecemos do país irmá Portugal que colabora habitualmente nos Círculos.
Hai que agardar ata o final mais a calidade de todos os participantes non decepcionará, prometido!!!.    

domingo, 15 de maio de 2011

Foto do 1º Aniversario do Círculo Poético Aberto

Jaime Moreda, Tiziana Cerabino, Dara Escribano, Virgílio Liquito, Simón Cabo, Fumador Impostado,
 Cruz Martínez, Fernando Rodríguez, rosanegra e Iria Bragado.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Temos, un novo Movemento Circular!!!

Asistentes: Dara Escribano, Simón Cabo, Iria Bragado, Fernando Rodríguez, Jaime Moreda, Virgílio Liquito, Fumador Impostado, Tiziana Cerabino, Cruz Martínez, rosanegra...
                                                 http://www.cafeuf.com/Programacion.htm


Na prensa:


Galicia Confidencial
http://www.galiciaconfidencial.com/nova/7800.html

Axenda AELG
http://axendaaelg.blogaliza.org/2011/05/13/vigo-nova-edicion-do-circulo-poetico-aberto-2/

poesiagalega.org
http://www.poesiagalega.org/novidades/axenda/evento/f/736/

sábado, 7 de maio de 2011

EXPOPLANETARIUM

Entra en EXPOPLANETARIUM e sorprenderaste...
Esta web está actualizada e Penúltimo Acto aconséllache que a explores, é un mundo inconmensurábel...

Poemas telefónicos.
http://expoplanetarium.net/poemas-telefonicos/poemas-telefonicos.html

Artífices de EXPOPLANETARIUM:  Alfonso Rodríguez e Adriana Pérez

terça-feira, 3 de maio de 2011

Virgílio Liquito


Carta dum defunto, a quem lhe fez sumir o Super-Ego 

Faltará o super Ego, interior dos interiores, o esconderijo,
Pode ser o do Kafka, a cova.
Residirá no desconforto das minhas atrevidas palavras,
Nem sempre sentidas, por quem se... esconderá à
superficie, que não há instituição, por muito que óbvias,
que acolha os motivos, sejam os quais, que não sejam.
Partilhadas que penetrem at éà auto-estima, seja qual
For o horizonte.
Não há, de facto, funções reais, sem o hálito do Super-
Ego, local das últimas mas gravadas emoções. Nem que
O boi se mije! Nem que se publique, seja na pedra, ou
nas bolsas gastro/libidinosas.
O super-ego, esse não aparece de cuecas, nem tapa,
Qualquer que seja a moda. É preciso decantá-lo,
Forçando-lhe o vómito
E nada mais óbvio. Porque o super-ego tem outra
Química, dificilmente se drena a si  próprio.
Nunca chegará a “irredutibilidade” do último ser.
Confesso, também, que pouca espuma se nos aparece à
Superficie. Mas engulhos se encontrará, por muito o tal
Ego se venha, que se possa intelectualizar o verdadeiro
Motivo: a partilha da cova, do Super-Ego. 

domingo, 1 de maio de 2011

Orlando Jorge Figueiredo


a água e os sonhos

ao princípio
um fiozinho de água
apenas se pressentia
aquele amor
que nos faz ficar acordados de noite
depois
um ribeiro
olhando
em segredo
os pássaros
e o jardim
onde nos beijávamos
de mãos dadas
depois
sem darmos conta
a minha água
e a tua água
encontraram-se numa esquina
e nasceu um rio
impetuoso
inundando tudo
Foi quando
o teu quarto de dormir
passou a ser
o nosso quarto de dormir
Agora 
quando te olho
a chuva adormece nos nossos olhos
e o mar
é um lago
no mar
dos nossos sonhos